Airton retorna de Brasília e diz que PSS será pago via precatório

 

O presidente Airton Procópio e o advogado Breno de Paula, convidados pelo juiz da 14ª Vara da Justiça Federal Waldemar Claudio de Carvalho, viajaram a Brasília e ali mantiveram audiência com o magistrado de quase 1 hora, tendo ele se mostrado bem acessível e bastante sensibilizado com o nosso pleito, em razão do processo do PSS ser o mais antigo ainda em tramitação naquela Corte, dizendo ele ser a sua preocupação encerrar tal processo, esperando dele Airton o auxílio para a situação definitiva, nas próprias palavras dele Dr. Waldemar Claudio.

 Segundo Airton as RPVs estão sendo confeccionadas, ou seja, a cada três minutos cai uma RPV na impressora dele magistrado e ai recebem as assinaturas digitais e entram no sistema, mas infelizmente não serão encaminhadas aos bancos, alegando o magistrado que apesar de existir o recurso financeiro, não pode ele determinar a migração para pagamento de nada desse processo,  considerando que o processo original (precatório da isonomia) foi pago em precatório e tudo dele decorrente, tem também obrigatoriamente que  ser pago via precatório, portanto está confeccionando as RPVs para inscrevê-las no precatório de 2019.

 Disse o magistrado, que estava pedindo ajuda a ele Airton e ao advogado Breno de Paula, tendo em vista que muito beneficiários já tinham morrido, estando com os respectivos CPFs cancelados e ele estava pedindo orientação a Receita e, portanto, em razão do tempo escasso, gostaria de contar com a ajuda dele Airton e do Sindicato, tendo Airton dito ao juiz, que o Sindicato tinha estrutura e poderia ajudar no que fosse possível, pois, segundo o juiz, mesmo com todo esforço dele e do Sindicato na pessoa do seu presidente Airton, algumas pensionistas, em razão de entraves burocráticos, poderão receber apenas em 2020.  

 Disse o juiz que esta correndo para fechar o precatório até o prazo máximo que é o dia 29 do corrente mês, para pagamento da maioria no início do ano de 2019, como ocorreu recentemente num outro processo dos delegados e peritos.

 Airton, lamentou que o resultado não seja aquele que todos esperavam, mas infelizmente é o que prevê a lei nesses casos e, portanto, só resta agora correr para fechar o precatório, devendo ele Airton procurar atender o juiz Waldemar Claudio de Carvalho, em tudo aquilo que o mesmo solicitar, conforme sua própria manifestação na citada audiência, quando disse que necessitava do apoio do Sindicato.