MP vai apurar citação a conta de Romário na Suiça




LUCIO BERNARDO JR:
No diálogo gravado do senador Delcídio Amaral (PT-MS), ele afirma que a divulgação, pela revista Veja, da existência da conta bancária do senador Romário (PSB-RJ) teria resultado num acordo político para que o ex-jogador apoiasse a candidatura do escolhido do prefeito Eduardo Paes (PMDB) para 2016, o secretário de Coordenação de Governo da prefeitura, Pedro Paulo; Romário agora afirma que já teve conta no banco suíço BSI, quando era jogador, mas diz que foi encerrada


247 – A Procuradoria-Geral da República afirmou nesta quinta-feira que “todos os fatos serão apurados” em relação à conversa gravada do senador Delcídio Amaral (PT-MS) que cita uma suposta conta bancária do senador Romário (PSB-RJ) na Suíça.

No diálogo, usado pela PF para prender o senador e o banqueiro André Esteves, do BTG, o petista afirma que divulgação, pela revista Veja, da existência da conta bancária teria resultado num acordo político para que o ex-jogador apoiasse a candidatura do escolhido do prefeito Eduardo Paes (PMDB) para 2016, o secretário de Coordenação de Governo da prefeitura, Pedro Paulo. Romário e o BSI, o banco suíço em questão, já negaram a informação.

“A suposta fraude foi cometida no Brasil. Depende de autoridades brasileiras enviarem um pedido de cooperação mútua”, afirmou Henri Casa, encarregado de imprensa do Ministério Público de Genebra.

Em entrevista ao Globo, Romário afirmou que já teve conta no banco suíço BSI, quando era jogador, mas diz que foi encerrada ainda durante o período em que atuou por clubes europeus, nos anos 1980 e 1990. “Estou tranquilo. Nosso MP já se pronunciou naquela primeira vez e espero que se pronuncie amanhã (hoje) também. É a única forma de resolver”, disse