‘Não acredito em Bolsonaro paz e amor‘, diz filho do candidato

Com o pouco tempo de televisão, o PSL deve apostar nas redes sociais e no corpo a corpo
ECEstadão Conteúdo

O filho do candidato prevê ao menos quatro incursões às cidades paulistas no período da campanha(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press)
O filho do candidato prevê ao menos quatro incursões às cidades paulistas no período da campanha
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press)
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que seu pai, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, não deve mudar sua postura durante a campanha. “Eu não acredito em ‘Bolsonaro paz e amor‘”, disse em uma referência ao apelido dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 quando o petista teve sua imagem suavizada na campanha eleitoral.

“Falavam que ele não ia comparecer aos debates, mas não tem nada disso”, disse o policial. Para ele, Jair deve ser um dos candidatos mais atacados pelos adversários durante a campanha, principalmente com o maior tempo de campanha na televisão de adversários como Geraldo Alckmin (PSDB-SP). “Eu sei que com esse tempo de televisão vamos ser muito atacado”, afirmou. Mesmo assim, Jair deve ir para o segundo turno com algum candidato da esquerda, na opinião do filho. “Eu gostaria do Ciro Gomes. Ele pelo menos é mais direto e sincero no que ele fala. Eu respeito mais o inimigo nesse perfil”, disse.

Com o pouco tempo de televisão, o PSL deve apostar nas redes sociais e no corpo a corpo. Eduardo e demais apoiadores da campanha devem apresentar ao candidato um roteiro de viagens. O interior de São Paulo, reduto de Alckmin, deve ter atenção especial. O filho do candidato prevê ao menos quatro incursões às cidades paulistas no período da campanha.