PGR pede inquéritos contra Renan, Delcídio e Jader



Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira 30 ao Supremo Tribunal Federal a abertura de duas novas investigações no âmbito da Operação Lava Jato contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso na semana passada, e o senador Jader Barbalho (PMDB-PA); no segundo inquérito, Janot pede apurações sobre Renan, Jader e sobre o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE); parlamentares devem ser investigados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; apenas Barbalho não havia sido incluído em nenhuma investigação da Lava Jato

Jornal do Brasil – A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu nesta segunda-feira (30), ao Supremo Tribunal Federal (STF), a abertura de dois novos inquéritos no âmbito da Operação Lava Jato para investigar o senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso na semana passada, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o senador Jader Barbalho (PMDB-PA). No segundo inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pede apurações sobre Renan, Jader e sobre o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE).

Os parlamentares devem ser investigados pelas práticas de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Esta é a quinta investigação em que Renan Calheiros é alvo na Lava Jato e o quarto inquérito de Aníbal Gomes. Ambos aparecem juntos em todas as investigações, incluindo a apuração sobre formação de quadrilha, que investiga 39 pessoas.

O primeiro inquérito contra Delcídio Amaral foi aberto na semana passada, quando o ministro Teori Zavascki, do STF, autorizou a prisão preventiva do parlamentar por tentativa de obstruir as investigações. Até agora, só Jader Barbalho ainda não havia sido incluído em nenhuma investigação da Lava Jato.

Os pedidos estão em segredo de Justiça e se baseiam em petições ocultas – procedimentos adotados no Supremo para manter em sigilo as delações premiadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.