Presidente decide intervir no MEC e fazer ‘uma limpa’ de gente que só atrapalha

Planalto chamou ministro para informar da troca de assessores

Foto  EBC

O presidente Jair Bolsonaro decidiu iniciar uma espécie de “intervenção branca” no Ministério da Educação, chefiado pelo colombiano Ricardo Vélez. O ministro foi chamado ao Palácio do Planalto na quinta-feira (7) para ser informado da decisão do comando do governo de iniciar a substituição de assessores e secretários do MEC. Segundo fonte do Planalto, nesta fase inicial podem ser dispensadas até oito pessoas. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A decisão de fazer “uma limpa” no MEC foi motivada por erros e constrangimentos provocados inclusive nas redes sociais.

Bolsonaro tem grande respeito pelo filósofo Olavo de Carvalho, mas não permitirá que ele administre o MEC por meio de “discípulos”.

Ao ser informado da decisão do Planalto, o filósofo foi às redes sociais pedir que seus seguidores abandonem o governo.

Procurado pela coluna, o Ministério da Educação não comentou as demissões até o fechamento desta edição.

Diariodopoder.com.br