Autor do atentado de Boston è condenado à morte

WhatsApp
Facebook
Twitter



: Dzhokhar Tsarnaev, condenado à morte pela coautoria do atentado na Maratona de Boston em 2013, em foto de divulgação apresentada pela promotoria em Boston. 23/03/2015 REUTERS/Gabinete da Promotoria em Boston/ Divulgação
Um júri norte-americano condenou nesta sexta-feira à pena de morte o coautor do atentado contra a Maratona de Boston, Dzhokhar Tsarnaev, por ele ter ajudado a realizar o ataque em 2013 que matou três pessoas e feriu 264

BOSTON, Estados Unidos (Reuters) – Um júri norte-americano condenou nesta sexta-feira à pena de morte o coautor do atentado contra a Maratona de Boston, Dzhokhar Tsarnaev, por ele ter ajudado a realizar o ataque em 2013 que matou três pessoas e feriu 264.

O júri federal demorou 15 horas para chegar a uma decisão e escolheu a morte por injeção letal para Tsarnaev, de 21 anos. A outra opção era prisão perpétua sem possibilidade de libertação.

O mesmo júri considerou no mês passado o rapaz de origem chechena culpado de colocar um par de bombas caseiras numa panela de pressão na linha de chegada da famosa corrida em 15 de abril de 2013, bem como atirar fatalmente contra um policial. O atentado foi um dos ataques de maior destaque em solo norte-americano desde 11 de setembro de 2001.

Tsarnaev, vestido com uma jaqueta esportiva preta e camiseta de cor clara, permaneceu em silêncio enquanto a sentença era lida, mantendo a atitude firme que teve durante a maior parte do julgamento.

O juiz George O‘Toole agradeceu Tsarnaev pela sua “compostura e decoro”.

Durante 10 semanas de depoimentos, o júri ouviu cerca de 150 pessoas, incluindo aquelas cujas pernas foram arrancadas pelas bombas cheias de estilhaços. William Richard, o pai de uma das vítimas, descreveu a decisão angustiante de deixar seu filho de 8 anos morrer de seus ferimentos para que ele pudesse salvar a vida de sua filha, Jane, que perdeu uma perna, mas sobreviveu.

Os promotores descreveram Tsarnaev como um adepto das ideias de militantes islâmicos da Al Qaeda que realizou o ataque como um ato de retaliação às campanhas militares norte-americanas em países muçulmanos.

Os advogados de defesa abriram o julgamento em 5 de março com a admissão de que Tsarnaev cometeu todos os crimes que vinha sendo acusado, mas argumentaram que seu cliente foi um contribuidor minoritário no esquema planejado e conduzido pelo seu irmão, Tamerlan, de 26 anos.

Tamerlan morreu após um tiroteio, que terminou quando Dzhokhar o atropelou com um carro roubado.

A decisão do júri não significa que a morte é iminente. O juiz George O‘Toole ainda vai sentenciar formalmente Tsarnaev à morte numa audiência a ser agendada nos próximos meses. A defesa provavelmente recorrerá da decisão.

A pena de morte continua sendo altamente controversa em Massachusetts, que não coloca ninguém no corredor da morte há quase 70 anos e aboliu a pena capital para crimes estaduais em 1984. Tsarnaev foi julgado sob a lei federal, que permite a injeção letal como punição.

(Reportagem de Scott Malone, Richard Valdmanis e Elizabeth Barber)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens