Brasil que nos envergonha, Diz andolfe sobre agressão a Stedile

WhatsApp
Facebook
Twitter



O senador Randolfe Rodrigues se pronunciou nesta quinta (24) sobre a agressão sofrida pelo coordenador nacional do Movimento Sem Terra, João Pedro Stédile, que ocorreu em Fortaleza, no início da semana; “Não sei que ‘democracia’ e qual ‘ética’ propõem esse tipo de gente aferrada à intolerância, ao ódio e à violência, cada vez mais presentes no cotidiano dos brasileiros e no cenário político do Brasil. Nós, do campo democrático popular, sabemos que as soluções dos graves problemas sociais do País não virão dessa parcela radical que procura criminalizar as reivindicações justas da maioria da população. A coragem de Stédile é a primeira das qualidades humanas porque nos garante todas as outras”, afirmou

247 – O senador Randolfe Rodrigues se pronunciou nesta quinta-feira (24) sobre a agressão sofrida pelo coordenador nacional do Movimento Sem Terra, João Pedro Stédile, que ocorreu em Fortaleza, no início da semana.

“Não sei que ‘democracia’ e qual ‘ética’ propõem esse tipo de gente aferrada à intolerância, ao ódio e à violência, cada vez mais presentes no cotidiano dos brasileiros e no cenário político do Brasil. Nós, do campo democrático popular, sabemos que as soluções dos graves problemas sociais do País não virão dessa parcela radical que procura criminalizar as reivindicações justas da maioria da população. Neste campo, nada é mais legítimo do que a histórica luta pelo justo acesso à terra e à reforma agrária. Os que afrontam a democracia e a justiça imaginam que possam intimidar um homem como João Pedro Stédile, líder maior de um movimento popular que tem como lema “Ousar lutar, ousar vencer!”. A coragem de Stédile, como nos ensinou Aristóteles, é a primeira das qualidades humanas porque nos garante todas as outras.
O Brasil, por tantos motivos, às vezes nos envergonha”, diz.

Abaixo a nota:

Nota de solidariedade ao líder do MST
Para: JOÃO PEDRO STÉDILE, coordenador nacional do MST
De: RANDOLFE RODRIGUES, senador

Meu amigo Stédile,
Por atos, fatos e palavras, o Brasil tem sido pródigo, em tempos recentes, em motivos para nos deixar envergonhados como brasileiros.
Nada me envergonhou mais, nos últimos dias, do que os atos e as palavras de extrema boçalidade que cercaram sua chegada ao aeroporto de Fortaleza (CE), na noite desta terça-feira, 22, quando ali se instalava um congresso sindical.
Durante vários minutos, um grupo de gente boçal e ruidosa recepcionou, com ofensas e insultos, o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que atendia a um convite gentil de lideranças do Ceará que reconhecem em Stédile a força e a justiça da luta pela reforma agrária nunca executada e sempre adiada no Brasil.
O País tomou conhecimento das agressões por obra dos próprios agressores, que festejaram sua truculência pelas páginas da rede social que patrocinam em nome de um certo “Instituto Democracia e Ética – IDE”.
O organizador que assumiu a violência, e se vangloriou dela, se identifica como ‘empresário, corretor de imóveis, palestrante e consultor de marketing’, declarando-se ainda “muito feliz” pela recente filiação ao PSDB.
Stédile, amigo,
Não sei que ‘democracia’ e qual ‘etica’ propõem esse tipo de gente aferrada à intolerância, ao ódio e à violência, cada vez mais presentes no cotidiano dos brasileiros e no cenário político do Brasil.
Nós, do campo democrático popular, sabemos que as soluções dos graves problemas sociais do País não virão dessa parcela radical que procura criminalizar as reivindicações justas da maioria da população.
Neste campo, nada é mais legítimo do que a histórica luta pelo justo acesso à terra e à reforma agrária.
Os que afrontam a democracia e a justiça imaginam que possam intimidar um homem como João Pedro Stédile, líder maior de um movimento popular que tem como lema “Ousar lutar, ousar vencer!”.
A coragem de Stédile, como nos ensinou Aristóteles, é a primeira das qualidades humanas porque nos garante todas as outras.
O Brasil, por tantos motivos, às vezes nos envergonha.
João Pedro Stédile, por sua luta, sempre orgulha o Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens