Confirmado para outubro o resultado da vacina da Pfizer contra covid-19

A informação é do presidente da farmacêutica americana Pfizer, Albert Bourlas CTNBio aprova estudos clínicos com vacina para […]


Confirmado para outubro o resultado da vacina da Pfizer contra covid-19

A informação é do presidente da farmacêutica americana Pfizer, Albert Bourlas

CTNBio aprova estudos clínicos com vacina para covid-19 e novo projeto de teste rápido
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O presidente da farmacêutica americana Pfizer, Albert Bourlas, confirmou que já deve sair no começo de outubro o resultado da última fase de testes da vacina da empresa contra o novo coronavírus.

A proteção contra covid-19 já foi aplicada em 23 mil voluntários com idades entre 18 e 85 anos, nesta última fase de testes que ainda acontece e deve atingir um total de 30 mil voluntários. Mil testes serão realizados no Brasil, com voluntários na Bahia e em São Paulo. Enquanto os demais participantes moram em 39 estados dos Estados Unidos, e também na Argentina e na Alemanha.

A base da vacina da Pfizer é base o RNA mensageiro, e deve produzir as proteínas antivirais no corpo do indivíduo. O conteúdo da injeção é capaz de informar as células do corpo humano sobre como produzir as proteínas capazes de lutar contra o coronavírus.

NotíciasRelacionadas
Senado aprova MP que flexibiliza regras de licitação durante pandemia
Brasília volta a ter voos diretos para Portugal 5 meses após suspensão
Até o final deste ano, a Pfizer pretende produzir até 100 milhões de doses. Com previsão de fabricar mais 1,3 bilhão de doses em 2021. O governo americano de Donald Trump comprometeu-se em julho a pagar 2 bilhões de dólares pelas doses da vacina da Pfizer, caso sua eficácia seja comprovada.

Quase 200 vacinas
De 176 vacinas potenciais sendo pesquisadas contra o novo coronavírus no mundo, 34 vacinas estão em fase de testes clínicos em humanos, segundo o último relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina feita pela Pfizer em parceria com a BioNtech é uma delas.

As chances de prováveis candidatas para uma vacina dar certo é de 6 a cada 100 e a produção pode levar até 10,7 anos, de acordo com pesquisa divulgada. Contexto que estimula farmacêuticas a acelerar o andamento das pesquisas, sem perder as garantias de segurança.

A luta contra a pandemia de covid-19 ainda conta com tratamentos experimentais, já que nenhum medicamento ou vacina contra a doença respiratória causada pelo novo coronavírus foi aprovado até o momento, para uso regular. (Com informações da Exame)


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email