Câmara aprova tramitação de projeto de quarentena em regime de urgência

Projeto chegou esta terça na Câmara é já tem relatora: deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), Câmara dos Deputados aprova […]


Câmara aprova tramitação de projeto de quarentena em regime de urgência

Projeto chegou esta terça na Câmara é já tem relatora: deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC),

Câmara dos Deputados aprova MP que transfere controle da Junta Comercial para o GDF
Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília – Foto: Saulo Cruz.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (4) a tramitação em urgência do projeto de lei enviado pelo governo Jair Bolsonaro para colocar em quarentena brasileiros evacuados do epicentro da epidemia de coronavírus, na China. O requerimento foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

Agora, a Câmara passará à análise do texto, que deve receber emendas dos deputados. A deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), está produzindo um relatório de plenário com urgência, uma vez que o projeto chegou ao Congresso nesta terça.

Depois, ele será enviado ao Senado onde, se aprovado, irá para sanção presidencial. O projeto 23/2020 define as medidas sanitárias a serem adotadas para impedir a disseminação do coronavírus no país, entre elas a quarentena e o isolamento de doentes.

Primeira sessão do Plenário da Câmara reúne propostas em regime de urgência
Pelo protocolo, a quarentena seria adotada apenas quando houvesse a confirmação de um caso da doença –o que ainda não ocorreu no Brasil–, mas o governo federal preferiu se antecipar devido à necessidade de adotar ações de organização da rede e de medidas adicionais para trazer ao país um grupo de brasileiros que está em Wuhan, área mais atingida pela epidemia na China.

O texto também autoriza a realização compulsória de exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras, vacinação e tratamento médico de eventuais portadores da doença.

O PL prevê ainda a restrição temporária de entrada e saída do país por rodovias, portos e aeroportos, permite que o governo requisite bens e serviços de pessoas físicas e empresas mediante pagamento de indenização e autoriza a importação de produtos sujeitos à vigilância sanitária sem registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Por ser considerado uma matéria urgente, o projeto não passou por nenhuma das etapas normais de tramitação legislativa. É incomum, mas legal de acordo com o regimento interno, que um projeto de lei vá a voto no plenário no mesmo dia que chega à Casa. (Folhapress)

 

Diariodopoder.com.br


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email