Cunha diz que reforma política será fatiada

WhatsApp
Facebook
Twitter



Zeca Ribeiro/ Câmara dos Deputados:
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), confirmou, nesta segunda (18), que a proposta da reforma política será votada em plenário na semana que vem; na avaliação de Cunha, questões polêmicas, como o fim da reeleição e a alteração do tempo de mandato de senadores para cinco ou 10 anos, levam à necessidade de se estabelecer uma ordem de votação dos temas da reforma; “Eu vou tentar botar ordem na Casa e estabelecer uma ordem de votar. Primeiro, temos que votar o sistema eleitoral, se vai haver ou não reeleição. Se mantiver a reeleição, não tem que discutir isso nada [o mandato dos senadores]”, observou
18 DE MAIO DE 2015 ÀS 19:21
Agência Câmara – O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, confirmou, nesta segunda-feira (18), que a proposta da reforma política será votada em Plenário na semana que vem. Na avaliação de Cunha, questões polêmicas, como o fim da reeleição e a alteração do tempo de mandato de senadores para cinco ou 10 anos, levam à necessidade de se estabelecer uma ordem de votação dos temas da reforma.

“Eu vou tentar botar ordem na Casa e estabelecer uma ordem de votar. Primeiro, temos que votar o sistema eleitoral, se vai haver ou não reeleição. Se mantiver a reeleição, não tem que discutir isso nada [o mandato dos senadores]”, observou.

“Não há dúvida de que vai se votar fatiado. Não há a menor possibilidade de votar uma PEC inteira, qualquer que seja ela, porque jamais você vai conseguir que as pessoas apoiem o conjunto inteiro”, destacou.

“Porque eu concordo com o distritão, eu discordo dos 10 anos [para senadores]. Eu concordo com a cláusula de barreira, o outro não concorda com o fim da coligação. Cada hora você vai agregar rejeição”, observou. “Então, a gente precisa separar, até para definir por etapas, e se vai descartando umas. Essa, por exemplo, do mandato de 10 anos ou cinco anos fica descartada se passar manutenção da reeleição.”

Decisão do Senado
Eduardo Cunha diz que até concorda “com o fim da reeleição”. Mas ele ressalta que o mandato dos senadores deve ser decidido no próprio Senado.

“Não tem que mexer com o Senado. Quando os deputados falam em alterar o mandato de senador ou diminuí-lo é quase que uma agressão. Até porque a gente já sabe que não vai passar lá. É de uma falta de perspicácia política, você impor o mandato ao Senado. É até uma falta de inteligência política”, ressaltou.

Mudança
Na última sexta-feira (15), o relator da Comissão Especial da Reforma Política, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), reviu sua posição e decidiu que o mandato de senador proposto em seu texto será de cinco anos, e não mais de 10 anos, como ele havia anunciado antes.

Para o presidente da Câmara, o relatório não deveria ser votado nesta terça, conforme previsto. Eduardo Cunha defende a votação no colegiado somente após a organização dos temas e a evolução dos debates.

“É preferível até que a comissão não vote. Que leve a Plenário”, afirmou. “Eu tenho que organizar agora a parte regimental. Ali tem um monte de propostas de emendas à Constituição (PECs) apensadas. Eu tenho que ver como a gente tira cada uma para levar à votação. Eu temo que o relatório dele [Marcelo Castro] possa engessar a votação.”

Acordo de lideranças
Questionado por jornalistas, Eduardo Cunha explicou que nem todas as propostas da reforma política têm de ser apreciadas. Ele disse que pretende fazer um acordo com as lideranças para colocar em votação temas como a adoção do voto distrital ou do distrital misto e o fim ou não do financiamento privado de campanhas.

Sobre o financiamento, Eduardo Cunha disse que defende a proibição das doações de empresas que tenham contrato com a Administração Pública.

Votações da semana
Quanto às demais votações do Plenário, o presidente Cunha disse que a Medida Provisória 668/15 será votada nesta terça-feira (19) e, em seguida, a ordem das urgências será respeitada.

A MP 668, uma das medidas do ajuste fiscal, aumenta as alíquotas do PIS/Pasep-Importação e a da Cofins-Importação. Assim, a maioria dos importados passa a pagar 11,75% nesses dois tributos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens