Edinho: ‘Situação do PT é grave, negar é equívoco‘

WhatsApp
Facebook
Twitter



José Cruz/Agência Brasil:

O novo ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, durante coletiva após cerimônia de posse, no Palácio do Planalto (José Cruz/Agência Brasil)
Ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva avalia que o PT passa por um momento delicado; “Não sou hipócrita. A situação do PT é grave. Negar isso seria um equívoco”; ele admite também que “foi um erro” seu partido peitar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na disputa pela presidência da Câmara; apesar de dizer que o governo passa por uma crise “inegável”, o ministro diz que o PT e a presidente Dilma estão absolutamente tranquilos em relação aos pedidos de impeachment; “O impeachment não é uma questão política, é jurídica. Para que tenha um impeachment, você tem de ter um fundamento jurídico. O governo não se preocupa com essa pauta”

Brasília 247 – Ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva avalia em entrevista ao jornal Correio Braziliense admite o momento delicado pelo qual passa o PT. “Não sou hipócrita. A situação do PT é grave. Negar isso seria um equívoco”

Edinho comenta a relação com o PMDB, e diz que ‘todo governo tem que ceder aos anseios de seus aliados, se não não governa‘, mas pondera que antes, qualquer reforma administrativa deve ser feita com o povo como prioridade. Ele admite que “foi um erro” o PT peitar Eduardo Cunha na disputa pela presidência da Câmara, com o deputado Arlindo Chinaglia.

Apesar de dizer que o governo passa por uma crise “inegável”, o ministro da Comunicação diz que o PT e a presidente Dilma estão absolutamente tranquilos em relação aos pedidos de impeachment que tramitam na Câmara.

“O impeachment não é uma questão política, é jurídica. Para que tenha um impeachment, você tem de ter um fundamento jurídico. O governo não se preocupa com essa pauta. A nossa preocupação é ter um desafio imenso pela frente, que é a retomada do crescimento econômico, da geração de empregos, da distribuição de renda, geração de oportunidades”.

Tesoureiro da campanha de Dilma em 2014, Edinho Silva falou também sobre a investigação aberta contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a doação de R$ 7,5 milhões supostamente desviados da Petrobras.

“O que tem contra mim é uma delação premiada de alguém que, portanto, negociou redução de pena. Eu li integralmente a delação do empresário (Ricardo Pessoa). Ele diz que eu o pressionei elegantemente e no parágrafo abaixo diz que nunca se sentiu pressionado. Na mesma delação. Respeito o pedido de abertura de inquérito do procurador. Ele deve ter visto na delação coisas que eu leigo, não vi. Prefiro, inclusive, que haja inquérito porque não quero dúvidas sobre o meu trabalho à frente da coordenação financeira da campanha da presidenta Dilma. Assumi a coordenação financeira já com o processo de investigação em andamento. Fui chamado para ocupar essa função em junho. Relutei. Todos sabem e humildemente digo, eu seria certamente um dos deputados mais votados do PT de São Paulo”.

Edinho avalia ainda que a reforma administrativa feita pela presidente Dilma Rousseff chega num momento adequado e de forma acertada. Veja aqui a entrevista completa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240724_173111_WhatsApp
Quatro anos do falecimento do colega Lourival Brito de Souza.
Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens