Em votação pós-toma-lá, governo exige dá-cá

WhatsApp
Facebook
Twitter


Lalo de Almeida
Lalo de Almeida

Josias de Souza
Lalo de Almeida/Folha

Depois de encostar seu governo no balcão, flexionando a espinha, a empáfia e a alma, Dilma Rousseff enfrentará nesta terça-feira um teste de plenário. Em sessão conjunta do Congresso, marcada para 11h30, deputados e senadores examinarão um lote de vetos presidenciais. Tendo se rendido sem ressalvas ao toma-lá, Dilma espera dos aliados a contrapartida de um vigoroso dá-cá. Qualquer resultado que não seja a manutenção dos vetos irá às manchetes como um vexame.

Numa tentativa de escapar do fiasco, o ministro Ricardo Berzoini, novo articulador político do Planalto, reuniu-se na noite desta segunda-feira com os líderes da coligação governista. Em conversa com o blog, um dos participantes do encontro disse que há grande preocupação com a hipótese de faltar quórum. Os comandantes das bancadas foram incumbidos de arrastar seus liderados até o plenário. Respirava-se na noite passada uma atmosfera de medo.

Em condições normais, a ausência de quórum seria um mal menor. Nas circunstâncias atuais, a imagem do plenário esvaziado sinalizaria que Dilma chafurdou no fisiologismo por nada. A insegurança do Planalto na noite da véspera é reveladora da fragilidade do arranjo partidário que Dilma chama de coalizão. Atento à angústia do governo, a oposição tramava desmobilizar-se. Os rivais do governo entendem que a obtenção do quórum é uma obrigação do governo.

Constam da pauta vetos cuja manutenção o governo considera vital. Entre eles o que brecou o reajuste para os servidores do Judiciário. Coisa de 53% a 78,5%, ao custo de R$ 36,2 bilhões em cinco anos. Há também o veto de Dilma ao projeto que estendeu a todos os aposentados do INSS o reajuste do salário mínimo. Derrubado, custaria ao Tesouro algo como R$ 11 bilhões até 2019.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que manobrou na semana passada para impedir que a apreciação dos vetos ocorresse, disse que não criará empecilhos nesta terça. Mas passou o dia antevendo dificuldades para a obtenção do quórum. No Planalto, suspeita-se que Cunha esteja operando nos subterrâneos para desestimular a presença dos seus devotos no baixo clero da Câmara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens