Ex-quase heroína Venina é dispensada do Lava Jato

WhatsApp
Facebook
Twitter

 
Ex-gerente da Petrobras, que quase virou heroína ao dar entrevistas afirmando que avisou a então presidente da estatal, Graça Foster, por mais de uma vez sobre irregularidades que vinham ocorrendo na empresa, foi dispensada pelo Ministério Público Federal de contribuir com a investigação Lava Jato por falta de informações relevantes e por pouco ter ajudado na apuração do esquema de corrupção; seu depoimento foi considerado genérico; Venina Velosa da Fonseca chegou a chorar na TV Globo por, segundo ela, ser perseguida após ter feito denúncias e convocar outros funcionários da empresa a também fazer revelações
247 – De quase heroína, ao delatar irregularidades na Petrobras em rede nacional, a ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca passou a ajuda dispensada pelo Ministério Público Federal na investigação Lava Jato. Após seu primeiro depoimento, nesta terça-feira 3, o órgão avaliou que ela não possui informações relevantes para o caso e pouco esclareceu sobre os fatos apurados.

Suas declarações à Justiça Federal do Paraná foram consideradas técnicas e burocráticas e ainda bastante genéricas quando relativas às decisões dentro da empresa. “VENINA foi ouvida no MPF no dia 17 de dezembro de 2014 e ouvida em juízo nesta data de 3/02/2015 (…) pouco esclarecendo sobre os fatos apurados. Assim, o MPF entende conveniente desistir da oitiva de VENINA”, afirmam os procuradores do caso no informe à Justiça Federal.

No final do ano passado, Venina concedeu entrevistas à imprensa revelando emails que teriam sido encaminhados a Graça Foster sobre irregularidades na empresa. Ela também ressaltou ter feito as delações pessoalmente. Graça negou os fatos, respondendo que nunca tinha sido avisada sobre ações como cartel ou superfaturamento de contratos na companhia.

Em uma entrevista ao Fantástico, da TV Globo, no dia 21 de dezembro, a ex-gerente chorou ao contar ter sido perseguida após as revelações e incentivou outros empregados da empresa a fazerem o mesmo que ela. A ex-funcionária foi chamada de “heroína” ou “uma brasileira digna de respeito”, como nas palavras da jornalista Leilane Neubarth, da Globonews.

À época das acusações de Venina, no entanto, também vieram à tona denúncias de que ela teria beneficiado a empresa do ex-marido em um contrato na Petrobras, quando ocupava o cargo de gerente (leia aqui), e ainda sobre a participação em aditivos que resultaram em um aumento de custo milionário na construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco (leia aqui).

Como previu o 247 anteriormente, Venina Velosa, de ex-quase-heroína, pode se tornar vilã.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens