Kotscho: Reforma de Cunha assegura privilégios e o povo paga a conta

WhatsApp
Facebook
Twitter



:
“Como se podia prever, teremos, na verdade, uma contrarreforma, para adiar às calendas o que realmente precisaria ser feito em defesa da democracia representativa, no sentido de aproximar eleitores de eleitos, governantes de governados. Cada qual continuará vivendo em países diferentes, assegurados os privilégios do andar de cima e o poder das empresas financiadoras das campanhas eleitorais, que são quem realmente manda no Congresso Nacional”, diz o jornalista Ricardo Kotscho, ao comentar a contrarreforma política de Eduardo Cunha; “a nós, contribuintes, só caberá pagar a conta”

Por Ricardo Kotscho, no Balaio do Kotscho

Quem esperava da “Reforma Cunha” profundas mudanças no sistema político-partidário-eleitoral do país, que está com o prazo de validade vencido, pode ir tirando o cavalinho da chuva. Desse mato não vai sair coelho.

Até agora, foi muita espuma e muito barulho para tudo ficar no mesmo lugar. O voto distrital caiu, mas o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, depois de reverter a derrota da véspera, conseguiu aprovar a emenda que realmente lhe interessava: a inscrição constitucional do financiamento privado de campanhas, tal como temos hoje, e o STF ameaçava proibir.

Passando a régua, de concreto, a única mudança real no atual cenário foi o fim da reeleição para presidente, governadores e prefeitos. Para deputados e senadores, a reeleição continua valendo, é claro, porque eles não vão jogar contra o próprio patrimônio. E esta era a mudança mais importante que o país clamava para arejar o ambiente político e permitir o surgimento de novas lideranças.

Das propostas que ainda estão para ser votadas, só a cláusula de barreira, que impediria a multiplicação geométrica das legendas, poderia representar um freio na festa do caqui em que se transformou a nossa salada partidária, mas esta dificilmente será aprovada.

Por uma razão muito simples: os partidos nanicos somam 98 votos na bancada de Cunha e o presidente da Câmara, que precisa manter a maioria no plenário, já prometeu nada fazer para aprovar esta emenda, que restringe o acesso ao fundo partidário e à propaganda eleitoral. Ameaçados de extinção, os pequenos partidos estão unidos pela sobrevivência.

Como se podia prever, teremos, na verdade, uma contrarreforma, para adiar às calendas o que realmente precisaria ser feito em defesa da democracia representativa, no sentido de aproximar eleitores de eleitos, governantes de governados. Cada qual continuará vivendo em países diferentes, assegurados os privilégios do andar de cima e o poder das empresas financiadoras das campanhas eleitorais, que são quem realmente manda no Congresso Nacional. A nós, contribuintes, só caberá pagar a conta. Nada de novo no front.

E vida que segue.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240724_173111_WhatsApp
Quatro anos do falecimento do colega Lourival Brito de Souza.
Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens