Se não nos quiserem, antes só que mal acompanhado’, diz Lupi sobre governo

WhatsApp
Facebook
Twitter


Elza Fiuza
Elza Fiuza

Josias de Souza
“Se quiserem nossa companhia, ótimo. Se não quiserem, antes só do que mal acompanhado.” As palavras de Carlos Lupi foram recebidas com aplausos na reunião do diretório nacional do PDT, nesta sexta-feira, no Rio. Presidente da legenda, Lupi insinuou que o partido não saltará do governo Dilma Rousseff como um rato que abandona uma embarcação prestes a afundar. Se quiser retaliar o aliado por ter votado contra seu ajuste fiscal na Câmara, a presidente terá de tomar a iniciativa de lançar o PDT ao mar.

“Quem não nos quiser que anuncie à oponião pública por que não nos quer”, discursou Lupi, com transmissão ao vivo pela internet. “Se não nos quer porque está fazendo uma opção pela direita, diga. Quem não nos quer porque entende que devemos ser punidos por defender o trabalhador, diga. Mas não seremos nós que vamos fazer o papel do ratos de porão de navio.”

Ficou decidido na reunião que, a exemplo dos 19 deputados federais do PDT, os seis senadores da legenda votarão contra as medidas fiscais do governo Dilma. Lupi simula desinteresse pelo Ministério do Trabalho, pasta chefiada pelo pedetista Manoel Dias. “Nós queremos discutir o papel do PDT nesse processo”, disse ele. “Não é ter ou não ter ministério. O ministério pode ser importante se ele for um instrumento para nós praticarmos as nossas políticas, não para saber pela imprensa que vão tirar direitos dos trabalhadores. Nosso papel não é esse.”

Lupi bateu no PT: “Há um esgotamento do modelo de fazer política. O PT, na minha opinião, está esgotado no modelo, como instituição partidária. Ficou um projeto hegemônico. Muito poder pelo poder.” Mas justificou a permanência no governo com a alegação de que o PDT não pode fazer o jogo da “direita” tucana.

“Estamos num momento crucial. Temos que tomar um cuidado danado para não fazer coro com um discurso que está muito em voga hoje, que nós já vimos acontecer com o Getúlio, com o Jango, com o Brizola. É corrupção, corrupção, corrupção. E ninguém quer falar das deles. Existe maior corrupção do que a que fizeram com as empresas públicas no governo Fernando Henrique Carodso? Existe maior corrupção do que a que fizeram com os bancos públicos privatizados de forma venal?”

Supremo paradoxo: nomeado por Lula para comandar a pasta do Trabalho, Lupi deslizou para dentro do governo Dilma. Foi varrido da Esplanada no final do ano inaugural do primeiro mandato, em meio a denúncias de corrupção. Nessa época, Dilma fazia pose de faxineira. “Não respondo a nenhum processo”, jactou-se Lupi, antes de afirmar que não deseja para Dilma um destino de Getúlio Vargas.

“Não será o trabalhismo que vai jogar do mesmo lado do mar de lama, que deu em tiro e no suicídio. Nós vimos o que aconteceu com Getúlio. Depois do tiro no coração, virou um heroi. Não queremos ver nenhum brasileiro morto. Não queremos ver o sacrifício de ninguém individualmente para garantir uma democracia difícil.” Como não planeja suicidar-se, Dilma preferiria que o PDT lhe desse votos no Congresso, não discursos de apoio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens