Senado derruba PEC que dificultaria a criação de partidos

WhatsApp
Facebook
Twitter

 
O plenário do Senado rejeitou nesta terça (17) a PEC 58/2013, proposição do pacote de reforma política, que aumentava de 0,5% para 3,5% o percentual do eleitorado exigido como apoio para que um partido possa ser registrado; foram 47 votos favoráveis, oito contrários e quatro abstenções; para ser aprovada, uma PEC precisa de, no mínimo, 49 votos a favor; a proposta era uma iniciativa do senador Valdir Raupp (PMDB-RO); se aprovada, o projeto dificultaria a criação do novo partido do ministro Gilberto Kassab (PSD)

Agência Senado – O Plenário do Senado rejeitou nesta terça-feira (17) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 58/2013, proposição do pacote de reforma política, que aumentava de 0,5% para 3,5% o percentual do eleitorado exigido como apoio para que um partido possa ser registrado.

Foram 47 votos favoráveis, oito contrários e quatro abstenções. Para ser aprovada, uma PEC precisa de, no mínimo, 49 votos a favor. A proposta de iniciativa do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), que foi arquivada, acrescentaria um inciso ao artigo 17 da Constituição Federal criando normas constitucionais para registro de legendas.

Aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), com emenda apresentada pelo ex-senador Cidinho Santos (PR-MT), a proposta exigia para registro do partido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o apoio de 3,5% do eleitorado nacional – cerca de 5 milhões de eleitores, já que o total nacional é de 142,8 milhões, de acordo com dados do TSE de 2014. Atualmente são necessárias assinaturas de apenas 0,5% do eleitorado, ou pouco mais de 700 mil eleitores.

A PEC também exigia que os apoiadores estivessem distribuídos por 18 estados, sendo ao menos um estado de cada região do país, com não menos de 0,3% de eleitores de cada um deles. Pelos critérios em vigor, previstos na Lei 9.096/1995, o apoio hoje pode ser coletado em apenas cinco unidades da federação, por apenas 0,10% do eleitorado de cada uma delas, o que, no entendimento dos parlamentares, não dá aos partidos o caráter nacional que precisam ter.

Discussão

Entre os senadores que votaram contra a proposta, a principal alegação é de que ela prejudicaria os partidos pequenos.

– Não se pode impedir que os partidos se registrem, porque eles não terão acesso às mesmas oportunidades que têm os grandes partidos, então nós teremos que limitar é no funcionamento e não no registro dos partidos – argumentou o líder do PSB, João Capiberibe (AP).

Vários parlamentares, entre eles o senador Omar Aziz (AM), líder do PSD, criticaram em Plenário a forma como está sendo feita a reforma política.

Os senadores que defenderam a proposta apontaram o que chamam de “anarquia” na criação de partidos no Brasil. Para eles a atual legislação é permissiva demais, o que acaba por estimular a criação de legendas de aluguel. No Brasil, existem hoje 32 partidos – cinco deles criados nos últimos cinco anos (PSD, PPL, PEN, PROS, SDD) “com mais 27 partidos na fila e outros tantos colhendo assinaturas para dar entrada”, como destacou Valdir Raupp.

– Não há nenhuma possibilidade de termos o fortalecimento da democracia com a quantidade de partidos que temos, aliás é uma forma de desmoralizar a atividade partidária – afirmou também Jorge Viana (PT- AC)

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) discorda da argumentação de que a proposta impediria o registro de alguns partidos.

– Essa PEC não é um criador de dificuldades, mas é um conjunto de ações para qualificar o surgimento de uma instituição partidária.

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), que citou diversas propostas relacionadas à reforma política em tramitação no Congresso nos últimos 18 anos – algumas de iniciativa dele – lamentou que nenhuma delas tenha avançado e comentou o resultado da votação desta terça.

– É uma péssima notícia – disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens