Em três meses, Dilma mudou a cara do governo

WhatsApp
Facebook
Twitter

Pedro Ladeira

Pedro Ladeira
Josias de Souza

Os 62% de brasileiros que disseram ao Datafolha considerar Dilma 2ª ruim ou péssima podem estar sendo injustos com a presidente. Talvez ela visse a redução no pagamento de benefícios sociais como um dos principais problemas do país desde seus tempos de “Mãe do PAC”. A providência fazia parte da sua agenda secreta. Daí a escolha do tucano Joaquim Levy para chefiar a Fazenda. Por isso as regras que reduzem o pagamento da pensão por morte, do auxílio-doença, do abono salarial e do seguro-desemprego entraram nas primeiras medidas provisórias que o segundo governo Dilma mandou para o Congresso. São medidas típicas de início de governo, quando presidentes recém-eleitos aproveitam a euforia para alardear suas prioridades.

Depois de um discurso de posse em que anunciou o novo lema do governo —‘Pátria Educadora’ —,quando se esperava que viessem à luz boas notícias na área educacional, coerentes com o pronunciamento reinaugural— Dilma nomeou Cid Gomes para o Ministério da Educação. Como uma coisa não combinava com a outra, deduz-se que o ex-governador cearense virou ministro apenas para disfarçar o verdadeiro intento de Dilma, que era o de desfrutar do prazer de demitir Cid Gomes e nomear para o lugar dele um acadêmico respeitado: Renato Janine Ribeiro.

Revendo-se discursos e entrevistas antigas de Dilma só de raro em raro encontram-se referências elogiosas ao PMDB —ainda assim, é preciso procurar um pouco. Portanto, são grandes as probabilidades de que o desejo de dividir o poder com o PMDB fosse um dos principais itens da agenda secreta de Dilma. Ela só entregou a coordenação política para o Pepe Vargas, petista inexpressivo, para não vitaminar a tese segundo a qual tornara-se uma escrava das vontades de Lula. No fundo, não via a hora de confiar a um Eliseu Padilha ou, melhor ainda, ao próprio vice Michel Temer a articulação política do seu governo. Mesmo que jamais tenha mencionado o plano nem para o espelho.

Aos pouquinhos, Dilma vai remodelando a cara ao seu governo. Decorridos três meses do início do segundo mandato, verifica-se que a nova gestão se parece com muita coisa, menos com aquela Dilma autossuficiente do primeiro reinado. O próximo passo da presidente talvez seja mostrar para Renan Calheiros e Eduardo Cunha que a pose de oposicionista que ambos fazem é desnecessária. Primeiro porque não faz nexo exigir a redução do número de ministérios em público e brigar pela pasta do Turismo à sombra. Segundo porque Renan e Cunha logo perceberão que, na agenda secreta de Dilma, a presidência da República é da cota do PMDB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens