O remorso mais rápido doeria menos em Dilma

WhatsApp
Facebook
Twitter

Josias de Souza
O ‘asfaltaço’ de 15 de março deixou Brasília mais surrealista do que nunca. As ruas se encheram porque há muita gente de saco cheio com Dilma Rousseff e com o governo dela. Quem é o responsável por tanta revolta? À frente do governo democrático e popular do PT, Dilma acha que a coisa não é com ela. Instada por jornalistas a fazer uma autocrítica, ela preferiu se abster. Armada de ironia, Dilma disse que a imprensa tem “certa volúpia” em arrancar dela uma confissão. “Seria um absoluto fingimento da minha parte”, desconversou.

Ampliar
Protestos de 15 de março pelo país140 fotos 113 / 140
Manifestantes lotam a avenida Paulista, em São Paulo, em protesto que pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Diversas cidades do país recebem neste domingo (15) manifestações contra o governo Leia mais Jorge Araújo/Folhapress
Dilma se dispõe a dialogar com qualquer um. Afirma que fará isso com “humildade e firmeza”. Mas se a presidente avalia que seu governo é ótimo, de que serve sua humildade? A própria Dilma tentou explicar:

“A abertura para o diálogo é o seguinte: nós estamos dispostos a dialogar com quem quer que seja, numa atitude de humildade, ou seja, querendo escutar o que a pessoa diz. Se ela vier pra mim e disser: ‘vocês estão errados aqui, aqui, aqui e aqui‘ eu vou escutar com humildade. Agora, me digam onde!”

Que nenhum aventureiro venha apontar erros na gestão econômica. De antemão, Dilma informa que, nessa área, não há mea-culpa a fazer. “Ninguém pode negar que nós fizemos de tudo para a economia reagir. O que eu não posso concordar é em aceitar ser responsabilizada por algo que seria pior se nós tivéssemos deixado.”

Que ninguém pense em esfregar a corrupção na cara da presidente. Nessa matéria, Dilma está vestida de verde e amarelo, ao lado dos manifestantes. Até prometeu, pela 199ª vez, enviar nos próximos dias aquele pacote de projetos anti-corrupção mencionado desde a campanha presidencial do ano passado.

Dilma celebra a maturidade da democracia brasileira e jura que está ouvindo as ruas. Um cínico poderia dizer que as expiações históricas exigem um tempo de maturação.

Como Dilma não admite nenhum erro, não se pode exigir dela um remorso antes do fato. Um remorso imediato também não seria conveniente. Restam às ruas duas alternativas: 1) contentar-se com uma contrição futura, quando não adiantar mais nada; ou 2) expressar novamente o seu saco cheio, na esperança de que Dilma perceba que um remorso mais rápido pode doer menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Screenshot_20240718_121050_WhatsApp
Luto - Adalberto Mendanha
Screenshot_20240714_160605_Chrome
Luto - Morre Dalton di Franco
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
IMG-20240624-WA0159
Luto - Morre Salvador Santos
Screenshot_20240305_093343_Gallery
Unimed -Teleconsulta
Screenshot_20240312_051459_Facebook
Luto – Gertudes Alves Araujo Finzes
Screenshot_20240304_182440_WhatsApp
Nota de pesar - Francisco Candido Marcolino Neto
Screenshot_20240123_061932_Chrome
Bancada sindical busca consenso para apresentar contraproposta na MNNP

Últimas do Acervo

Screenshot_20240719_062109_Chrome
Dois anos da morte da morte do colega João Caetano da Silva.
Screenshot_20240719_061523_Chrome
Quatro anos da morte da morte do colega Antonio Jose Lizardo.
Screenshot_20240711_181900_WhatsApp
Um ano do falecimento do colega Jose Henrique da Silva.
Screenshot_20240711_123156_Chrome
Nove anos da morte do colega Justino Alves
Screenshot_20240702_125103_WhatsApp
Luto - Cleuza Arruda Ruas
Screenshot_20240702_102327_WhatsApp
Corpo de Bombeiros conduz o corpo do Colega Jesse Bittencourt até o cemitério.
Screenshot_20240701_163703_WhatsApp
Luto - Jesse Mendonça Bitencourt
Screenshot_20240610_144417_Chrome
Um ano da morte do colega Joao Couto Cavalcante
Nossa capa de hoje daremos destaque à colega Datiloscopista do ex-Territorio, Juliana Josefa da Silva, pessoa muito amável e querida por todos que a conhece.
Coletânea de arquivos fotográficos de companheiros antigos da PC - RO
Screenshot_20240510_192125_WhatsApp
Um ano da morte da morte do colega Antônio Rodrigues da Silva

Conte sua história

20220903_061321
Suicídio em Rondônia - Enforcamento na cela.
20220902_053249
Em estrada de barro, cadáver cai de rabecão
20220818_201452
A explosao de um quartel em Cacoal
20220817_155512
O risco de uma tragédia
20220817_064227
Assaltos a bancos continuam em nossos dias
116208107_10223720050895198_6489308194031296448_n
O começo de uma aventura que deu certo - Antonio Augusto Guimarães
245944177_10227235180291236_4122698932623636460_n
Três episódios da delegada Ivanilda Andrade na Polícia - Pedro Marinho
gabinete
O dia em que um preso, tentou esmurrar um delegado dentro do seu gabinete - Pedro Marinho.
Sem título
Em Porto Velho assaltantes levaram até o pesado cofre da Padaria Popular
cacoal
Cacoal nas eleições de 1978 - João Paulo das Virgens